quinta-feira, 7 de abril de 2011

Academia Mossoroense de Letras terá noite de posse e de autógrafos

Mário Gerson tomará posse como novo membro da entidade e lançará o livro A Noite de Luvas Brancas (poemas) pela Editora Queima-Bucha

No próximo dia 14 de abril, às 19h30, na Biblioteca Ney Pontes Duarte, o escritor e jornalista Mário Gerson tomará posse na Academia Mossoroense de Letras (AMOL), na cadeira 26, que tem como patrono Inácio Meira Pires, ocupada, anteriormente, pelo ator Lauro Monte Filho.

Além da posse, haverá o lançamento do livro: A Noite de Luvas Brancas (Poemas). A saudação de recepção, em nome da AMOL, será feita pelo acadêmico Filemon Rodrigues Pimenta.

De acordo com Elder Heronildes da Silva, na ocasião será anunciada como oficialmente vaga a cadeira 32, que tem como patrono Mário Negócio de Almeida e Silva e era ocupada pelo escritor João Batista Cascudo Rodrigues. Também será lançado o Concurso João Batista Cascudo Rodrigues (conto e poesia), da Amol em parceria com a Fundação Vingt-un Rosado.

O AUTOR - Mário Gerson Fernandes de Oliveira nasceu em Mossoró-RN, aos 16 de dezembro de 1981. É filho de Maria do Carmo Fernandes Oliveira e de Josias Faustino de Oliveira. Começou a produzir seus primeiros escritos aos quatorze anos de idade. Desde muito jovem teve contato com a literatura, as artes plásticas e, em especial, com a poesia. Juntamente com a Fundação Vingt-un Rosado, Coleção Mossoroense, em 1999 lançou o seu primeiro trabalho - um folheto intitulado: Traços Poéticos, por um projeto denominado Poema na Escola.

Juntamente com as poetisas Kalliane Sibelli, Graciele de Lima e o Grupo Apogeu, e logo a seguir com o projeto Pedagogia da Gestão, editou o jornal cultural mensal e literário Clandestino, jornal esse que contou com dezessete edições.

Mário Gerson, em 2002, lançou o seu primeiro livro, O Catador de Espumas. E, em 2001, foi terceiro lugar no Concurso Vingt-un Rosado de Poesia, promovido pela Prefeitura Municipal de Mossoró. Em 2006 foi o ganhador da primeira edição do Prêmio Dorian Jorge Freire de Jornalismo, organizado pela Prefeitura Municipal de Mossoró, tendo como jurados os jornalistas Adísia Sá, Woden Madruga, Osair Vasconcelos e o escritor Pablo Capistrano. O trabalho vencedor no prêmio de jornalismo foi publicado em livro pela Prefeitura Municipal de Mossoró e distribuído em escolas, bibliotecas e faculdades de jornalismo do Estado e do Nordeste. No ano seguinte foi ganhador do Prêmio de Poesia Maria Sylvia de Vasconcelos Câmara, também da PMM, com o poema "Mais que um Nome..."

Em 2008, Mário Gerson foi o vencedor da categoria Contos, do Prêmio Literário Rota Batida, um convênio entre a Coleção Mossoroense e a Petrobras, com o livro O Suspiro do Inimigo.

Em 2007, lançou o livro GAZETA DO OESTE, 30 anos, em que revela a história do maior jornal do interior do Estado e do Oeste potiguar. Já em 2008 publicou outra obra, A Morte do Pescador, uma novela, com prefácio do escritor e crítico literário Manoel Onofre Júnior.

Mário Gerson teve vários de seus poemas editados em jornais literários, como o extinto O Galo (da Fundação José Augusto), e colaborou com a revista Preá, no quadro "Escritura Potiguar", de Natal, e o Diário do Nordeste, na página de cultura, entre outros. A revista CULT, edição de fevereiro de 2004, destacou em seu quadro RADAR CULT alguns poemas do autor.

Foi editor e fundador dos jornais JJ do DR e Voz Noturna, ambos na Escola Estadual Governador Dix-sept Rosado, onde estudou.

Atualmente é editor do caderno Expressão, jornal GAZETA DO OESTE e Universitário do Curso de Comunicação Social - JORNALISMO - da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

É conselheiro editorial da Editora Queima-Bucha, de propriedade do poeta Gustavo Luz, membro do Instituto Cultural do Oeste Potiguar (ICOP), desde junho de 2005, sócio-correspondente da Academia Apodiense de Letras (AAPOL) e membro do Conselho Editorial do Jornal Plural do Conselho Municipal de Cultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário